terça-feira, 1 de setembro de 2015

Por que não se ensina cidadania nas escolas?

O nível de desinformação do brasileiro médio é impressionante. 

Ele, praticamente, não sabe nada da cidade onde vive, do seu país ou do mundo.

Tem mínimas noções sobre as várias áreas do conhecimento humano.

Tudo o que conhece é dirigido para desempenhar as tarefas do dia a dia.

É um ser ingênuo, tolo, que acredita em superstições e lendas, boatos e fofocas, se guia pelas notícias de telejornais e programas policiais popularescos,  e se deixa enganar com facilidade por picaretas que se passam por religiosos. Grande número dessas pessoas é analfabeta, mal e mal sabe escrever seu nome.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Essa nossa democracia...

Um governador de Estado dizer que é preciso acabar com um partido político adversário deveria, numa sociedade democrática madura, causar, no mínimo perplexidade em todos os seus cidadãos.

Isso porque a base de uma democracia é justamente a pluralidade política. 

Quanto mais as diferentes visões de mundo estiverem representadas no Parlamento ou no Executivo, melhor para todos.

O contrário, como quer o governador paulista Geraldo Alckmin, segundo manifestação pública feita sábado, chama-se ditadura, o regime político mais execrável que existe. 

sábado, 29 de agosto de 2015

Taxas, impostos, tributos... Vamos falar sério...

Brasília manda alguns sinais de que deve mexer numa das áreas mais importantes e problemáticas da administração pública - e da sociedade em geral -, que é a referente ao sistema tributário, esse imenso cipoal quase indecifrável de impostos, taxas, tributos e contribuições que inferniza a vida de todo mundo, além de sobrecarregar os mais pobres e poupar os mais ricos.

Segundo o noticiário, a presidenta Dilma concorda em apoiar a taxação das grandes fortunas - há vários projetos dormindo no Congresso.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, é favorável à criação de um imposto similar à extinta CPMF, que destinava cerca de R$ 40 bilhões anuais à saúde pública, e servia como eficaz instrumento contra a sonegação.

Ah, a sonegação...

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Brasileiro está vivendo mais. Isso não é incrível?

A revista científica The Lancet publicou pesquisa que cala o blá-blá-blá desse pessoal que tem como esporte falar mal do Brasil.

Segundo essa gente, a saúde pública brasileira é uma porcaria, o SUS uma vergonha mundial, e os hospitais e unidades de atendimento do país, assim como os programas governamentais, a antessala do inferno - se não, ele próprio.

Pois bem, segundo a insuspeita revista, a expectativa de vida no Brasil aumentou 6,1 anos para os homens e 5,4 anos para as mulheres, de 1990 a 2013. Atualmente, a expectativa de vida das mulheres no Brasil supera a dos homens – 78,4 anos ante 71,6 anos, sendo a expectativa média de 75 anos.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A última do Alckmin: acabar com o Cepam e a Fundap

O governador Geraldo Alckmin deve detestar São Paulo. 

Não contente em piorar todos os serviços públicos, desde a segurança pública à educação, quer agora acabar com dois importantes órgãos de assessoramento e aperfeiçoamento da administração pública, o Centro de Estudos e Pesquisas da Administração Municipal (Cepam) e a Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap). 

Para tanto, enviou à Assembleia Legislativa, onde a maioria dos deputados come em sua mão, projeto de lei solicitando autorização legislativa para extinguir os dois órgãos.

O Cepam (www.cepam.org/institucional/quem-somos.aspx) dá assistência a municípios e existe há 47 anos. 

A Fundap (www.fundap.sp.gov.br/a-fundap/o-que-fazemos/) trabalha para o desenvolvimento da administração pública estadual.

Para alertar a sociedade sobre o absurdo dessa decisão, os funcionários do Cepam prepararam um documento em repúdio à medida e que explica o que faz órgão e a sua importância:

terça-feira, 25 de agosto de 2015

A revolução por que passa São Paulo

Paulista fechada para veículos aos domingos:
ousadia que vai virar exemplo para outras cidades
(Foto: André Tambucci/Fotos Públicas)
O papel de São Paulo como centro difusor de cultura é inquestionável. 

Se o Rio ainda é capaz de influenciar alguns padrões de comportamento, São Paulo vai além e exporta tanto seu conservadorismo político como seu vanguardismo artístico, numa aparente contradição de difícil entendimento.

Essa última medida do prefeito paulistano Fernando Haddad é exemplar. 

O tempo passa, o tempo voa...

O patronato fez a pior proposta dos últimos anos na negociação salarial com os jornalistas de São Paulo. 

Os empresários alegam que vão mal das pernas, que a tal crise os pegou de jeito e, portanto, não podem nem repor a inflação no salário dos empregados que produzem as "notícias" que servem para emoldurar a publicidade, que é o que realmente interessa a eles.

O número de jornalistas jogados para fora das redações neste e em anos anteriores dá a ideia de que as empresas de comunicação estão mesmo em sérias dificuldades financeiras.

sábado, 22 de agosto de 2015

A luta de classes e o respeito ao próximo

Uma das melhores maneiras de conhecer o caráter de uma pessoa é ver como ela trata os outros, principalmente os seus subordinados.

Tive uma chefe que era durona, falava grosso com todo mundo, até com seus superiores, mas mostrava muito respeito pelos office boys da redação.

Em compensação, havia um outro sujeito que vivia gritando com aquela rapaziada simpática e prestativa.

Um dos diretores de redação do Estadão com quem trabalhei era admirado justamente pelo fato de que não olhava os outros, especialmente os funcionários mais humildes, com superioridade. 

Cumprimentava todos, conversava com eles como se estivesse numa mesa de bar, se interessava - ou fingia se interessar - pelo que o pessoal dizia.

Depois que saiu do jornal fez uma exitosa carreira como executivo de multinacionais - e chegou até a ministro de Estado do governo Lula.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Acredite se quiser

James Randi, hoje com 87 anos, passou grande parte de sua vida usando a sua extraordinária habilidade de ilusionista e prestidigitador para desmascarar picaretas que se valiam de truques para tirar dinheiro dos outros, como esse monte de "pastores", "bispos" ou "missionários", que exibem seus "milagres" pela televisão por todo o mundo, ou médiuns e "cirurgiões espirituais" - uma legião de "paranormais" com poderes que deixariam o Super-Homem envergonhado de tanta incompetência.

A vida e o trabalho de Randi em prol da desmistificação dessa indústria de falsidades estão muito bem retratados no filme "An Honest Liar", dirigido por Tyler Measom e Justin Weinstein, que se encontra no catálogo da Netflix.

O documentário mostra desde o tempo em que Randi se apresentava como mágico e escapista, seguindo a trilha de seu ídolo Houdini, até os dias de hoje, quando passou pelo drama de ver seu companheiro de mais de duas décadas ser preso nos Estados Unidos por ter vivido lá com documentos falsificados.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Contradições

O Brasil é o país dos contrastes, dizem.

Acrescento: é o país das contradições.

Se não, como explicar:

1) Pessoas que nunca passaram dificuldades em suas vidas baterem panelas vazias, símbolo de carência material, como protesto contra o governo federal?

2) Que se peça a volta da ditadura, em plena democracia?