quinta-feira, 24 de abril de 2014

Xô, trolls, xô!

"Pare de dizer besteira... que papo é esse de imprensa, de estratégia de direita e bla, bla, bla. Porra, o PT está detonando com o Brasil e só cego não vê. Querem continuar mamando, mentindo, enganando, dizendo que não sabem de nada, que é pro bem do povo pobre... É sacanagem pura com tudo o que é honesto neste país. Não vêm com essa de direita, de oligarquia, burguesia, que não cola mais. O PT é um bando de aproveitadores e ponto final, que têm que sair e dar lugar para qualquer um, que possa repensar o Brasil legítimo e realmente democrático."

O comentário acima foi um dos que recebi pela croniqueta "A onda pessimista", publicada terça-feira neste espaço.
Como ele vários outros foram enviados, anonimamente, usando uma linguagem bastante parecida em seu furor contra o governo, contra o PT - e contra este humilde cronista. 
Parecem ter saído do mesmo forno, tal a semelhança de estilo.

Site apresenta tesouros do cinema mundial. Legendados e grátis


O surrado chavão sobre o futebol, de que ele é uma caixinha de surpresas, vale perfeitamente para a internet.
Em meio a tanto lixo, tanta porcaria descartável, pode-se encontrar na rede tesouros inimagináveis em todas as áreas do conhecimento humano.
Não é segredo para ninguém que a internet está infestada de obras de arte - e outras nem tanto -, disponíveis para todo mundo.
Milhares de livros, filmes e músicas, por exemplo, podem ser usufruídos livremente. 
É só procurar.
O problema é que a maior parte desse material é pirateado, ou seja, não paga direitos autorais, e assim corre o risco de sumir da rede de um dia para outro, se a burla for descoberta.
O Youtube está coalhado de filmes de todos os tipos, anos e gêneros, alguns até em bom estado, outros nem tanto. 
Para quem tem tempo livre para fuçar o quase inesgotável arquivo do site e não se importa com essa questão de direitos autorais, o Youtube é uma mina de ouro.
Mas ele não funciona para o cinéfilo interessado em obras de arte, aquelas que realmente contam para a evolução da linguagem cinematográfica. 
Para esses, foi lançado no começo do ano um site que deve virar referência no assunto, o Cinema Libre, que já tem um acervo de 300 filmes em domínio público, legendados, muitos deles joias raras. 

quarta-feira, 23 de abril de 2014

A onda pessimista

Os portais de notícias dão manchetes sobre as projeções do "mercado" para a inflação, que, segundo os tais analistas, ficará além do teto estabelecido pelo Banco Central, de 6,5% - o centro da meta é 4,5% com tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo.
Com isso, continuam a insistir na linha do "quanto pior, melhor", recheando sua relação de notícias com tudo o que possa significar desgaste para o governo Dilma e para o PT.
Uma notícia como essa, extraída do Boletim Focus, do BC, merece, no máximo, um registro.
Não tem nenhuma importância, já que esse boletim é feito com base em entrevistas com representantes do mercado financeiro - e o mercado financeiro, qualquer criança sabe, quer mesmo é que os juros subam à estratosfera, para que seu lucro seja ainda maior do que já é.
Além do mais, essas "previsões" têm o mesmo valor científico de alguma profecia da outrora famosa Mãe Dinah, ou seja, não valem absolutamente nada.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Rostos maquiados, vozes treinadas, impostores

Passo os olhos pelo noticiário destes dias em que o país está parado.
Leio que o senador Álvaro Dias diz que o plano da oposição é alimentar a imprensa de notícias contra o governo Dilma - e o PT.
Leio também que Eduardo Campos mudou-se com sua família para São Paulo e pretende na sua campanha para a Presidência da República firmar-se como o continuador da obra de Lula e implacável crítico da presidenta Dilma.
As duas notícias resumem o momento político do país.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Gabriel Garcia Márquez e a importância dos inícios

Gabriel Garcia Márquez dizia que uma das chaves de um bom romance é o seu começo, o parágrafo inicial.
É ele que cativa o leitor para o que vem a seguir.
Garcia Márquez caprichava em seus inícios.
Se bem que o esmero de sua escrita fluía magistralmente por todos os seus livros.
"Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano 
Buendía havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo. Macondo era então uma aldeia de vinte casas de barro e taquara, construídas à margem de um rio de águas diáfanas que se precipitavam por um leito de pedras polidas, brancas e enormes como ovos pré-históricos. O mundo era tão recente que muitas coisas careciam de nome e para mencioná-las se precisava apontar com o dedo."
Esse é o início de sua obra-prima, "Cem Anos de Solidão".
O que se segue ficou conhecido como "realismo mágico" - os homens têm essa mania de classificar tudo.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Os quintas-colunas

Na ânsia de defenestrar os trabalhistas do Palácio do Planalto, a oposição se vale de um expediente altamente condenável.
Confunde a crítica às políticas governamentais, às suas medidas e ações, o que é plenamente válido, com o achincalhe das instituições e dos símbolos nacionais.
O que faz com a Petrobras, só para dar um exemplo, nada mais é que atacar o próprio país.
Isso porque não existe uma empresa que mais representa o Brasil, a sua criatividade, a sua potencialidade, a sua própria cultura, do que a Petrobras.
A Petrobras é mais que uma empresa - é um símbolo deste Brasil que hoje já ocupa um lugar entre as mais poderosas nações do planeta.
Sua notável trajetória, seu posição entre as maiores petroleiras do mundo, a sua expertise técnica, seus admiráveis recursos humanos, a sua extraordinária importância como polo gerador de empregos, de tecnologia e de inovação, deveriam ser louvados por todos os brasileiros - e principalmente pelos representantes do Poder Legislativo de todos os níveis.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Flerte com a insensatez

Publiquei neste espaço, dia 24 de março, uma croniqueta com o título "Pra Frente, Brasil", uma provocação para lembrar os disparates ditos e escritos pelos extremistas de direita, esse bando de dementes que não se conforma com os rumos que o país tomou depois de 2003 e quer, de todas as maneiras, botar a nau no rumo do mais completo e absoluto desastre.
Elenquei, no texto, como disse, "uma pequeníssima amostra do que pregam esses notáveis renovadores, esses impolutos profetas dos novos tempos, muitos com títulos pomposos da Academia, incensados, louvados e glorificados pela imprensaempresa que nos mostra o mundo sob a óptica dos alucinados:

terça-feira, 15 de abril de 2014

Achincalhar a Petrobras, uma temeridade

Essa campanha que a oposição, em conluio com a midiazona, está fazendo contra a Petrobras pode ser explicada de várias formas.
A leitura mais fácil é de que se trata, tão somente, de luta eleitoral.
Aécio, Dudu Beleza e assemelhados pretendem, com todo o bombardeio, desgastar a imagem do governo federal - e, principalmente, da presidente Dilma, candidata à reeleição.
Até aí, nada de demais.
Todos sabem que a oposição é incapaz de apresentar o mais tênue indício de uma proposta que possa melhorar as condições do povo brasileiro, "ir além", como gostam de falar, do que vem fazendo o governo trabalhista.
Ou alguém acha realmente que "medidas impopulares" como as que Aécio e seus gurus sugerem - arrochar salários é a mais óbvia - serão capazes de "fazer mais" pelo Brasil?
Ah, tenha dó...