terça-feira, 5 de maio de 2015

O professor, esse sobrevivente

Professor é uma das profissões com menos prestígio no Brasil.

Dê aulas onde for, a maioria ganha mal e tem péssimas condições de trabalho.

Quem trabalha em escola pública, então, nem se fala.

É um sobrevivente.

O massacre promovido pela PM paranaense contra os professores mostra bem o que a nossa sociedade pensa deles - policiais, como todo mundo, têm filhos nas escolas e, pelo que se viu, acham que os professores não passam de bandidos que merecem ser espancados.

Melancia pendurada no pescoço

Andy Warhol, o expoente máximo da pop art, é autor de uma frase profética: segundo ele, "no futuro, todos serão famosos por 15 minutos".

Os BBBs da vida estão aí para confirmar a previsão do pintor e cineasta, um dos mais influentes artistas do século 20.

Warhol talvez não supusesse, porém, que a sua frase marcasse tão profundamente a vida de algumas pessoas.

No Brasil, isso é evidente.

São inúmeros os que fazem de tudo para aparecer, mesmo por alguns segundos, na televisão - Globo, de preferência -, no noticiário dos jornalões, ou, depois da explosão da internet como veículo de comunicação de massa, nas redes sociais.

domingo, 3 de maio de 2015

Sob o império dos amorais

Na língua portuguesa não há uma palavra para definir um governo que manda sua polícia bater, espancar, atiçar cães, jogar bombas e dar tiros em professores. 

Há, porém, substantivos adequados para classificar o governador paranaense Beto Richa, que, logo depois do massacre promovido pelos policiais sob o seu comando contra os manifestantes, servidores públicos estaduais, que queriam acompanhar a votação do projeto de lei que liquida com a sua aposentadoria, afirmou que a culpa pelo ocorrido era das próprias vítimas.

Canalha é um bom qualificativo para enquadrá-lo, embora ainda não exprima toda a infâmia dos seus atos.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Não é terceirização. É devastação

O risco de a velha e boa Consolidação das Leis do Trabalho, a CLT, virar pó é grande, se o Projeto de Lei 4330/2004 passar incólume pelo Senado e for à sanção presidencial. 

Mesmo se a presidenta Dilma Rousseff vetar integralmente o texto, as chances de o Congresso derrubar o seu veto são reais - basta ver a composição atual do Parlamento...

No artigo publicado a seguir, a advogada Rosane Monjardim explica, de maneira bem didática, os males da terceirização das relações trabalhistas aprovada pela Câmara dos Deputados. 

O título, "Quantas categorias profissionais sobreviverão a terceirização?", é provocador, mas é bem indicativo da desgraça iminente que paira sobre o trabalhador brasileiro.

Vamos à íntegra:


quarta-feira, 29 de abril de 2015

Livros, livros à mão cheia...

O Gabinete de Leitura Ruy Barbosa, em Jundiaí, comemorou seu 107º aniversário de fundação nesta terça-feira, 28 de abril. 

Num país em que livros são tratados como a peste negra, uma biblioteca chegar a essa idade é um feito notável.

Mesmo que, segundo notícias de sócios, o Gabinete, como é chamada a veneranda instituição jundiaiense, esteja praticamente às moscas.

domingo, 26 de abril de 2015

O padrão Globo de falta de qualidade

A Rede Globo de Televisão comemora, com pompa, seus 50 anos de existência. 

O oba-oba se estende ao carro-chefe do jornalismo da emissora, o Jornal Nacional.

Leio que as matérias sobre o assunto são parciais, mentirosas até, como uma tentativa de reescrever a história.

Se for isso mesmo, o JN mantém a sua coerência - afinal, desde quando praticou jornalismo de verdade, esse que ouve os dois lados de uma história, que dá espaço ao contraditório, que busca se aproximar, o máximo possível, da realidade factual?

sexta-feira, 24 de abril de 2015

A realidade de cada um

Serra Negra, onde moro, esteve lotada neste feriado. 

Águas de Lindoia, outra cidade do chamado Circuito das Águas Paulista, também estava cheia de turistas nesta terça-feira, 21 de abril. 

Havia ainda muita gente fazendo compras nos supermercados, filas de carros nos postos de gasolina, bares e restaurantes movimentados, as pessoas despreocupadas andando nas ruas, olhando vitrinas, entrando nas lojas e saindo delas com sacolas de compras.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Brasil forma geração de Adolfos

Uma das brincadeiras da criançada classe média de hoje é uma passeata anti-Dilma de faz de conta.

Isso mesmo - as crianças agora brincam dessa maneira, fiquei sabendo.

Não fiquei sabendo, porém, se os pais aprovam ou incentivam essa divertida atividade.

Ou se as crianças, para deixar o folguedo mais excitante, bradam as palavras de ordem preferidas dos adultos em seus protesto contra a presidenta (alguns preferem chamá-la de "presidanta") - "vaca", "arrombada", "Dilma, vai tomar no cu", e outras gracinhas do mesmo gênero.

sábado, 18 de abril de 2015

Há apenas covardes no Brasil?

O Brasil está se transformando, rapidamente, numa republiqueta de bananas.

Um dos maiores, mais importantes e influentes países do mundo é hoje refém de um juiz de 1ª instância, que, graças à covardia das autoridades, há meses, sob o pretexto de combater a corrupção, prende pessoas por meros indícios e suspeitas de crimes, por boatos e informações de dedos-duros, sem provas das supostas ilegalidades e sem que os réus ofereçam risco à sociedade ou ao andamento do processo. 

É óbvio que uma Justiça exercida desta maneira não é Justiça.

Pelo menos em nações civilizadas, que vivem sob a égide da democracia.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Justiça brasileira, o paraíso dos alcaguetas

Todo cidadão brasileiro deveria se preocupar com esse negócio de prenderem pessoas com base no que falam dedos-duros. 

A delação premiada tem de ser vista com muito cuidado.

É claro que o sujeito topa entrar nela para conseguir o máximo de vantagens da Justiça, como diminuir a pena pelo seu crime.

E também está evidente que a tropa dessa operação Lava-Jato está usando a prisão dos acusados pelos dedos-duros para forçá-los a alcaguetar outros.