sexta-feira, 20 de novembro de 2015

A surra dos "secundas" em Sua Excelência, o governador

Os estudantes saúdam seus amigos PMs
(Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)
O governador paulista, Geraldo Alckmin, finalmente, depois que os "secundas" ocuparam cerca de meia centena de escolas, resolveu negociar o seu projeto de reorganização (sic) da rede escolar - na verdade redução do número de unidades.

Condicionou, porém, o início do diálogo, e a suspensão temporária do seu plano malévolo, à desocupação dos imóveis.

O episódio, até agora, serviu para mostrar que:

1) Sua Excelência é um trapalhão de primeira;

2) Seu secretário de Educação é um incompetente;

3) A Polícia Militar é totalmente despreparada para qualquer tipo de ação que não envolva perseguir negros e pobres que moram nas periferias das cidades;

4) O secretário de Segurança Pública que mandou a PM cercar as escolas é um irresponsável;

5) Mesmo sem ter aulas da matéria, os "secundas" mostraram que aprenderam direitinho o que é cidadania.

Pesado tudo isso, ficou mais que evidente que que Sua Excelência, o governador Geraldo Alckmin, é um dos maiores blefes que a direita já inventou na sua longa história de mando no Brasil.

Os "secundas", porém, devem ficar atentos.

É bem possível que a oferta de Sua Excelência de suspender temporariamente o fechamento das escolas em troca de sua desocupação não passe de uma estratégia para que o movimento dos "secundas" se esvazie sem que seja necessária a intervenção dos brucutus da Polícia Militar.

Afinal, não ia ficar bem para os tucanos espancar adolescentes - muitos deles da classe média, essa que deu carta branca ao partido de Sua Excelência para o usufruto pleno do Estado de São Paulo - que já dura duas décadas. 

Prudência e caldo de galinha, diz a sabedoria popular, não fazem mal a ninguém.

Principalmente quando do outro lado do balcão se encontram políticos tão dissimulados como Sua Excelência, o governador Geraldo Alckmin.

3 comentários:

  1. Do jeito que vai, não demora, vai fechar as creches e botar a PM pra reprimir o berro dos bêbês.

    ResponderExcluir