quarta-feira, 25 de abril de 2012

A cantora e o senador

Outro dia parei num canal da TV por assinatura no qual era exibido um show do violonista, compositor e cantor Toquinho, feito para homenagear seus tantos anos de carreira. A ideia era boa: havia uns quatro palcos no estúdio, cada um deles com um intérprete. Toquinho cantava um de seus inúmeros sucessos, a câmera deslizava até o outro palco, onde um cantor ou cantora apresentava outro dos seus hits, com um arranjo diferente do original. Tudo ia razoavelmente bem quando chegou a vez daquela moça chamada Mallu Magalhães cantar. Toquinho, sinceramente, não merecia aquilo.
Foram, acho, três números com a moça. Em todos, ela exibiu uma total falta de conhecimento, de técnica, de afinação, de noção mínima do que é cantar. Quem a vê leva um susto, tal o constrangimento que a sua "atuação" provoca.
A reação seguinte ao espanto, logo depois de a gente ter vontade de escutar correndo uma Clara Nunes, uma Lenny Andrade ou uma Alcione - só para ficar no time das brasileiras -, para despoluir o ouvido e a mente, é pensar como é possível que uma pessoa tão despreparada possa estar fazendo shows profissionais, possa cantar ao lado de um artista tarimbado e talentoso como Toquinho.
Claro que a moça em questão está na dela. Se ela se acha uma grande compositora e cantora, ninguém tem nada com isso.
O que é incrível é que teve gente que se dispôs a bancar o seu sonho adolescente de ser uma grande artista. E pessoas que perceberam que, em meio a essa loucura que é esta sociedade de consumo capitalista, onde a indústria de entretenimento se esmera, todo dia, em achar alguém "vendável" para os mais diversos tipos de público que existem, houvesse lugar para alguém como ela. O cara que fez isso é um gênio.
Vários dias se passaram dessa experiência televisiva traumatizante até que li num jornalão qualquer que o nosso querido senador Demóstenes Torres havia saído da toca e ido dar um passeio pelo plenário da casa parlamentar onde exerceu com tanto denodo sua missão de defensor da moral e dos bons costumes, numa atitude que demonstra como o sujeito é cara de pau.
Mas foi somente ontem que percebi que existe uma conexão direta entre a moça que pretende ser cantora e o senador que se esmerava em ser o nosso Catão. É que ele também é produto deste modo de vida que valoriza a aparência e não o conteúdo, que olha o brilho das luzes e não a fonte de energia, que vende a embalagem e não o produto, que idolatra a ilusão e despreza a realidade.
No fundo, se formos ver, o senador que se revelou apenas mais um integrante de um bando de criminosos comuns, chegou onde chegou porque ele, ou o esquema a que pertence, soube utilizar em benefício próprio todos os instrumentos que a sociedade capitalista possui para promover a "ascensão" social, cultural e econômica das pessoas. Instrumentos, como se viu em seu caso, defeituosos.
O que seria de Demóstenes, só para terminar, se a imprensa, em geral, não tivesse sido tão magnânima, tão generosa e tão simpática a ele? Ou melhor, o que seria de Demóstenes se a imprensa brasileira tivesse acompanhado a sua carreira com a mesma "isenção" que acompanhou, por exemplo, a do ex-metalúrgico que ganhou duas vezes a eleição presidencial?

P.S.: O mesmo se aplica a essa moça chamada Mallu Magalhães. Se houvesse pelo menos resquício de crítica musical nos jornalões ela não teria passado de um hit momentâneo do YouTube - como centenas de outros que a gente já apagou da memória.

Um comentário:

  1. Jairo Teixeira Mendes Abrahão25 de abril de 2012 14:00

    Caro Motta.
    Como faço, rotineiramente, me levantei às 11 horas,tomei minhas pílulas(tenho 74 anos!), meu café, acariciei meus gatos e cachorros e vim ao computador.Embora minha mulher seja fã do "facebook", eu não sou! Abro a "máquina" e vou direto ao "Favoritos" onde selecionei os melhores blogs da blogosfera, entre eles o seu! Gosto, imensamente de suas crônicas(quando crescer quero ser cronista!). A de hoje, como sempre, muito boa, paralalo perfeito entre Mallu e ...!
    Como nunca havia ouvido falar dela fui direto ao youtube... Encontrei-a sem dificuldade( "Velha e Louca").Um bom cenário e ...Ela! Linda e muito jóvem! Voz pequena mas que me agradou. Enquanto corria o barco fui pensando: "Será que o Motta vai queimar a língua ?".Não que ela não corresponda àquilo que voce disse, mas ela tem tudo que a globo precisa para "criar" um novo ídolo jóvem: bonita, vazia, vozinha sem caracteres interessantes, mas que "pega"!!
    Atente para o fato de que ao vê-la e ouvi-la, não tenha discordado de voce! Sou louco por música, desde que seja boa, o que não é tão fácil de se encontrar na mídia de hoje. Ela deverá fazer compania às Sandis e outras mais! O tempo(e a globo)dirão!!
    Um puta abraço!

    Jairo

    ResponderExcluir