quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Enquanto a dor não passa...

Semitravado por fortes dores na perna esquerda, passo o tempo me revezando entre a cama, o sofá e a poltrona onde estou agora, tentando batucar algumas frases inteligíveis sobre estes tempos sombrios em que, não por nossa escolha, vivemos.

O fato de ter ido, nesta última semana, três vezes ao Posto de Pronto Atendimento da Unimed-Amparo, uma vez a um ortopedista da rede conveniada, duas vezes ao Hospital Anna Cintra para fazer um raio-x da coluna lombar, três vezes a farmácias variadas para tomar injeções de Celestone Soluspan e, finalmente, a um quiropraxista, poderia me incentivar a opinar um pouco sobre as condições em que um pobre coitado como eu, completamente entregue ao suplício da dor, é atendido pelos nossos abnegados profissionais da medicina.

Acho, porém, mais justo deixar isso para depois, para quando, quem sabe, estiver livre das pontadas e da queimação nos músculos da minha fraca e doentia perna esquerda. Só assim, creio, poderei refletir de maneira mais justa, sem a influência deletéria das emoções, sobre por que a medicina avançou tanto no campo científico e regrediu tanto no fator humano.

Assim, prefiro fazer algumas poucas observações a respeito de assuntos recorrentes no obsessivo noticiário que inunda as redes sociais e os portais internéticos: 


@ Impeachment da presidenta: Há algum tempo, em conversa com amigos, dizia que tudo isso era apenas espuma - o objetivo da oposição é simplesmente impedir que Dilma governe, é atrapalhar o mais que possível o seu governo, apostar no quanto pior, melhor. 

Aécio e caterva são como pastéis de vento, não têm nada a propor ao Brasil, são apenas políticos oportunistas, demagogos, quintas-colunas a serviço do capital estrangeiro. 

Triste é ver que amplos setores do Judiciário e do Ministério Público, assim como praticamente toda a imprensa e meios de comunicação, além de empresários burros por natureza, se prestem a esse papel calhorda de sangrar um país inteiro por não ter capacidade de vencer a disputa pelo voto.

@ Eduardo Cunha: Pouco a acrescentar ao que é notório. Trata-se do mais acabado exemplo de uma pessoa que envergonha a classe política, no mínimo, e a espécie humana, se a gente for um pouco mais rigoroso.

@ Dia do Professor: Comemorá-lo é uma baita de uma hipocrisia. O professor brasileiro é desrespeitado pelos alunos, pelos pais dos alunos e pelos seus empregadores. Ninguém dá valor a ele. É encarado quase como um mal necessário à sociedade - para muitas pessoas vale mais a palavra do "pastor" semialfabetizado de sua igreja, aquelas bobagens todas sobre seres mágicos, que o ensinamento de um professor.

@ Futebol:  A seleção brasileira de Dunga é para fazer qualquer um odiar o futebol. Pode-se dizer o mesmo sobre o que o meu time, o Palmeiras, vem jogando. A continuar assim o pouco do fanatismo que resta em mim desaparecerá bem rapidamente.

4 comentários:

  1. A dor ciática incomoda. Já tive essa droga. Agora esse gambá golpista e malcheiroso que infesta esses tempos insalubres........ é dose! Saúde.

    ResponderExcluir
  2. Melhoras! E melhoras para o nosso Brasil! Que os Cunhas rolem ladeira abaixo. As forças "ocultas" não querem a nossa independência, o nosso crescimento, a inclusão social.. Mas golpistas não passarão!!

    ResponderExcluir
  3. Não custa ver esse vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=Ei-mlp-bCWg
    Talvez seja a solução para as suas dores.
    Melhoras

    ResponderExcluir