terça-feira, 25 de junho de 2013

Os motivos para derrubar a presidenta



Os protestantes já começaram a urrar as palavras de ordem mais previsíveis desde que a turma do contra perdeu uma, duas, três eleições presidenciais.
O "Fora Dilma" que a tal "minoria" dos manifesteiros ecoa para extravasar seus ódios contra qualquer forma de democracia, porém, carece de um embasamento mais sólido.
Afinal, "Fora Dilma", por quê?
Pela ênfase com que gritam o slogan, reforçada com o típico gesto dos assassinos hitleristas de erguer o braço direito, eles devem estar cobertos de razões.
Mas ali, nas ruas que ocupam com tanta desenvoltura, em pleno calor da batalha, eles se esquecem completamente dos motivos que os levam a pedir o linchamento da presidente.
Como contribuição, alinhavo alguns dos feitos deste governo, que, para esses protestantes são pecados capitais:


- Redução da taxa de juros a níveis civilizados;
- Crédito ao consumidor farto;
- Casa própria acessível até a quem ganha de 1 a 3 salários minimos;
- Redução da conta de luz;
- \Construção de usinas para garantir o fornecimento de energia elétrica;
- Obras de infraestrutura para logística;
- Energia elétrica para as regiões mais remotas do país;
- Construção de universidades;
- Democratização do ensino superior, com o Prouni e o Sisu;
- Estabelecimento de cotas para os negros em universidades federais;
- Bolsa Família e outros programas sociais;
- Desoneração tributária para mais de 50 setores industriais;
- Taxa de desemprego mais baixa da história;
- Ingresso de 40 milhões de pessoas ao mercado consumidor;
- Desejo de destinar todo dinheiro da exploração de petróleo da camada pré-sal inteiramente para a educação;
- Modernização das Forças Armadas;
- Nenhuma interferência no funcionamento dos outros poderes, o Legislativo e o Judiciário;

Se a turma do contra perder mais alguns minutos certamente vai encontrar outras razões para derrubar a presidenta.
É que para esse tipo de gente, tudo o que é civilizatório, tudo o que pode ajudar a transformar o Brasil num país mais rico, mais justo e mais democrático, vai contra os seus desejos.

5 comentários:

  1. Everaldo/Recife/PE24 de junho de 2013 16:43

    É babaquice desses desmiolados da direita nazista.

    ResponderExcluir
  2. Um exército que não elege o seu verdadeiro inimigo nem conhece quem lhe comanda, não passa de bucha de canhão de generais especialistas em derrotas fragorosas, que movimentam suas fileiras pela voz de quem norteia suas ações.

    Assim se constrói uma guerra onde todos são derrotados.

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. A arma da direita não faz "bum", nem "pou", faz plim-plim.
      É nessa que eles confiam.

      Excluir